Paixão Vitoriana
Subscribe

Como perder um jogo em 45 minutos...

Colocado por WhiteShadow a 7 de janeiro de 2008

Há dias assim. Dias em que simplesmente não se devia sequer ter saído de casa. Nem alguém com o maior ódio possível ao Vitória conseguiria fazer um argumento tão perfeito para um filme de terror. Alguém acreditaria, no início, se lhe dissesse que o Vitória chegaria ao intervalo a ganhar, jogando bem, dominando a primeira parte, com várias oportunidades e uma bola ao poste. Que iria entrar na segunda parte novamente a dominar, falhando novamente vários golos e enviando 2 bolas ao poste. E que depois disso, nessa mesma segunda parte, o Estrela faria 4 golos em 3 remates (ok, depois do golo ainda fez outro remate)? Sim, 3 remates para 4 golos! Alguém acreditaria que Geromel marcaria na própria baliza por uma vez, que desviaria fatalmente um remate para o quarto golo, que se isolaria um jogador adversário num ressalto de bola. Que Cabral marcaria, num lance onde a defesa foi mal batida. Sim, Cabral! Quantos golos marcou Cabral em toda a sua carreira? Não terá sido este o primeiro? Nada contra ele atenção, que me parece ser uma pessoa humilde e apenas fez a sua obrigação profissional (aliás, por este jogo, certamente muitos não teriam ficado com má impressão dele).

Sinceramente, não há maneira de explicar. Só quem assistiu ao vivo consegue perceber a sensação de estranheza com que se fica depois de um jogo tão atípico como este. Aliás, desde o início que foi estranho, tal a aparente facilidade com o Vitória parecia poder dominar o jogo. Não serei certamente o único a dizer que a sensação com que ficava era que o Vitória, se apertasse um pouco, poderia até construir um resultado com uma margem bem confortável. Mas como combater um resultado tão cruel? Será lícito falar em sorte quando se perde por 4-1? Mesmo da maneira que foi? Não sei que dizer...

Quem não viu pensa que Márcio Martins foi um descalabro na defesa, mas a verdade é que do quinteto defensivo (incluindo aí Nilson) foi dos que esteve até melhor. Será possível dizer isso quando se sofre 4 golos? Sinceramente, não desgostei do Márcio. E o que se diria dele, ou de Radanovic, se tivessem uma noite com a infelicidade que teve Geromel? Que continua a ser um jogador excelente, atenção! Mas a verdade é que sem a dupla Sereno/Geromel, os resultados não têm sido bons...

É futebol. Foi muito amargo fazer a viagem de regresso a matutar neste resultado, confesso. É frustrante ver o Vitória falhar sempre nos momentos decisivos, onde pode dar o salto. É frustrante vir quase rouco de gritar Vitória Até Morrer já depois do 4º golo, num impulso que certamente quem ama o Vitória compreenderá. Num acto de raiva para com um resultado injusto, inesperado. Com um sentimento de impotência de um adepto que não pode fazer mais do que estar do lado de fora e apoiar a equipa. Que não pode alterar o resultado...

Do mesmo modo que ganhando não poderíamos embandeirar em arco, também perdendo não passamos a ser a pior equipa do mundo. Como disse Cajuda: "Há que enterrar os mortos e tratar dos vivos, como disse Marquês de Pombal e este jogo está morto. Não gostaria que fosse assim, mas aconteceu". Há que recuperar psicologicamente a equipa depois de um jogo como este, no que Cajuda costuma ser exímio. E mostrar em Setúbal que isto foi um (trágico) acidente de percurso. Na próxima segunda-feira teremos a resposta. Em campo. E nunca mais chega essa dia, para podermos atirar este jogo para trás!

PS - Resta-me o consolo de ter podido fazer a viagem na companhia de família que como eu, adora o Vitória e ter podido ver o jogo com o meu tio de Alcochete e o com o grande "alfacinha" vitoriano João. Um abraço, João!

4 remate(s):

Anônimo disse...

Depois de uma primeira parte onde o Vitória falhou oportunidades incríveis para cimentar o resultado e assim poder gerir o jogo de uma forma mais racional, assistimos a uma segunda parte verdadeiramente incrível... quatro golos sofridos.
O azar do Vitória foi a sorte do estrela...
Mais uma vez, quando podemos dar uma salto de afirmação na tabela classificativa, acontece-nos uma jogo assim.
Caramba, mais um jogo aqui por estas bandas e não vejo o Vitória a ganhar!
O aspecto mais positivo de ontem foi, mais uma vez, a presença de muitos Vitorianos.
Um grande bem-haja a todos e um abraço especial para ti Pedro!
João LXVitoria

luis cirilo disse...

Toda a gente tem direito a um dia mau.O problema é que os nossos jogadores,ontem,resolveram usar esse direito todos ao mesmo tempo !
O que aconteceu na Reboleira foi apenas futebol.
Aoo intervalo a questão era saber por quantos iamos ganhar.
Com vinte minutos da segunda parte era sabermos por quantos iamos perder...
São coisas que acontecem.Penso contudo duas ou tres coisas necessárias :
Manuel Cajuda tem de rodar mais o plantel embora ele nao seja muito vasto.
Targino,Moreno e Felipe merecerão jogar de inicio alguns jogos.
Sao mesmo necessários 3 reforços para os lugares de lateral esquerdo, 10 e ponta de lança.
E na segunda feira(raio de dia) em Setubal a equipa tem de dar uma resposta cabar a esta jornada má.
Até porque é perceptivel que Benfica e Sporting tem os respectivos balneários a ferver com consequências imprevisiveis.
Alias se ontem temos ganho não sei se em Alvalade não começariam a rolar cabeças...
Nota final: Hélder Cabral fez ontem uma boa exibição.Bem melhor do que aquelas que fazia com a nossa camisola.
É mais um caso em que a exigência tremenda para com os jogadores feitos no clube ás vezes,quase sempre infelizmente,resulta mal.
Não será nunca um grande jogador mas ontem que jeito nos tinha dado...

Anônimo disse...

www.jornalsodesporto.com

«onde todos os desportos pontuam!»

Visita..regista-te e participa!

Carlos Manuel disse...

Não há comentário possível a este jogo.
Jogamos bem (mas sofremos 4 golos e falhamos outros 4)
O Estrela pouco fez (mas marcou 4)

Pelo menos, e uma vez que a equipa soube fazer circular a bola, podemos concluir que é um resultado fortuito, como por exemplo também foi o do Bessa.

É assim que se ganham (e perdem) campeonatos